Total de visualizações de página

sábado, 31 de dezembro de 2011

Quais os perigos das doenças transmitidas pelos pombos?



Por mais que pareçam animais tão indefesos e frágeis os pombos são grandes transmissores de doenças, não por que eles querem, muito pelo contrário, na verdade eles ficam doentes primeiro e depois acabam transmitindo essas doenças para as pessoas por estarem próximas a elas.


Vejamos algumas dessas doenças e o que elas causam.


Criptococose e histoplasmose:

Cripto o que??? 
Não se assuste com esses nomes, o importante é saber que essas são as duas doenças mais perigosas transmitidas pelas fezes do pombo.
Essas doenças estão nas fezes de alguns pombos e quando essas fezes secam podem lançar a doença no ar e qualquer um que esteja perto pode contrair essa enfermidade através da respiração.
Quando respirada a criptococose acaba indo para o cérebro causando uma forte meningite e a histoplasmose vai para o pulmão causando sérios problemas de respiração para a pessoa.

Alergias de pele
Essas doenças são transmitidas pelos piolhos que o pombo carrega em suas penas e, geralmente, são encontradas em lugares que possuem ninhos desse animal.
Esses piolhos de pombos geralmente não gostam de sangue humano, mas quando eles ficam muito tempo sem se alimentar acabam atacando as pessoas. Além da coceira e do incomodo por sentir esses pequenos animais passeando pela pele, algumas pessoas mais alérgicas podem desenvolver graves problemas.

Alergias respiratórias
Quando se respira penugens de pombos ou de um ar rico em poeira das fezes dos pombos algumas pessoas mais sensíveis podem ter rinites, ou crises de bronquite.

Salmonelose
        Essa doença se pega por se consumir alimentos ou bebidas contaminados com fezes de pombo. Os sintomas são os mesmos de uma infecção alimentar, diarreia, febre e vômito em alguns casos a pessoa perde tanto líquido que deve ser hospitalizada.

SE VOCÊ POSSUI ALGUM DESSES SINTOMAS E FREQUENTA LUGARES COM GRANDE QUANTIDADE DE POMBOS PROCURE UM MÉDICO O QUANTO ANTES!

Nenhum comentário:

Postar um comentário